Noticias
PIB da América Latina e Caribe crescerá 3,3% em 2012
ONU considera que a região teve um "crescimento robusto" em 2011. As projeções indicam que o México e a América Central registrarão um crescimento de 2,7% do PIB em 2012 e de 3,6% em 2013, enquanto a região caribenha terá elevação de 3,6% e 4,3%, respecti
O PIB (Produto Interno Bruto) da América Latina e do Caribe crescerá 3,3% em 2012 e 4,2% em 2013, segundo o relatório "Situação e Perspectivas da Economia Mundial", elaborado pela Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad).
O texto considera que a região teve um "crescimento robusto" em 2011 -- aumento de 4,3% do PIB --, uma melhora que, no entanto, representou uma "desaceleração" com relação aos 6% obtidos em 2010. Por sub-regiões, os economistas da Unctad esperam um crescimento do PIB na América do Sul de 3,6% neste ano e de 4,5% no próximo, enquanto em 2011 a alta foi de 4,6%.
A progressão de 2011 na América do Sul se deve, segundo o relatório, à criação de emprego que, por sua vez, reduziu a pobreza e a desigualdade, o que levou a um forte aumento do consumo privado. "Isto ocorreu especialmente no Brasil", especifica o texto, lembrando que o investimento, tanto público como privado, cresceu, e que os altos preços das matérias-primas permitiram lucros generosos, que foram revertidos ao Estado através da receita por impostos.
As economias do México e da América Central tiveram um crescimento "mais moderado", de 3,8% em 2011, enquanto as do Caribe tiveram alta de 3,4%. As projeções indicam que o México e a América Central registrarão um crescimento de 2,7% do PIB em 2012 e de 3,6% em 2013, enquanto a região caribenha terá elevação de 3,6% e 4,3%, respectivamente.
A respeito da inflação, o relatório indica que a alta se mantém na região por conta do rápido crescimento da demanda interna e do aumento do preço das matérias-primas.
Em média, a inflação na região foi de 7% em 2011, mas houve dois casos, Argentina e Venezuela, nos quais a inflação alcançou os dois dígitos. O relatório aponta que na maioria de países latino-americanos foram aplicadas políticas ativas para lutar contra o aumento dos preços.
O relatório aponta também as ameaças que pesam sobre a região latino-americana, especialmente com uma possível recessão nos Estados Unidos e na Europa. "Um aprofundamento da crise da dívida soberana na Europa e o medo da falta de fundos em dólares poderiam afetar os bônus dos mercados emergentes e tornar seu financiamento muito mais caro ou até inacessível para alguns países da região", prevê o documento.

Fuente: Multinoticias Nº 10.
Atras
Noticias
Toda victoria es relativa, toda derrota es transitoria
Noticias
Seguimiento de la situación laboral
Noticias
Trabajo de calidad vs. trabajo precario
Noticias
Nosotros también entrenamos
Noticias
Salario, inflación y empleo
Noticias
AATRAC: II seminario de formación regional
Adelante
Agenda Agenda
scroll up
scroll down
El curso del Centro de Estudios Ferraresi inicia el 11 de julio....
Legislación laboral inicia el 2 de mayo....
Incasur e importantes agrupaciones invitan al ciclo de charlas con la participación de referentes h...
El golpe y sus consecuencias económicas....
Jueves 15 de febrero en ADEF...
© INCASUR. Todos los derechos reservados.
Alberti 36. Ciudad Autónoma de Buenos Aires. Tel.: (011) 4932-2776. comunicacion@incasur.org